Notícias

Pós pregão desta terça (26) mantém calmaria nas vendas, porém volume de oferta continua nas sobras e com preços instáveis

O pós pregão de hoje apenas deu continuidade à lentidão apontada desde a madrugada. As vendas não evoluíram como o esperado, porém, alguns negócios foram sendo concretizados, principalmente para o feijão de grão (8,5-9), vendido a R$ 110,00/sc.


Pós pregão desta terça (26) mantém calmaria nas vendas, porém volume de oferta continua nas sobras e com preços instáveis

 

O pós pregão de hoje apenas deu continuidade à lentidão apontada desde a madrugada. As vendas não evoluíram como o esperado, porém, alguns negócios foram sendo concretizados, principalmente para o feijão de grão (8,5-9), vendido a R$ 110,00/sc.

 

Os grãos de (9) de cor estão sendo ofertados a R$ 125,00/sc, sem possibilidade de queda deste valor. Com isso as vendas estão sendo adiadas para amanhã, uma vez que os compradores não demonstraram interesse em aceitar tal proposta.

 

Em se tratando do volume de mercadorias que ainda circula, sabe-se que existe a média de 16 a 18 mil sacas,  além das ofertas que estão sendo sugeridas para embarque, que aumentam ainda mais essa média.

 

Diante do cenário, não resta outra alternativa que não seja esperar naturalmente o surgimento da demanda. 

 

Além disso, podemos traçar um panorama onde existe preço e mercadorias, e ainda uma  forte competitividade entre os estados, já que as ofertas são advindas de todas as regiões, exceto da região Nordeste.

 

Lavouras

Santa Catarina

As ofertas estão paradas e os produtores aguardando a melhor condição. Os preços seguem nominais, obedecendo a média de R$ 70,00a R$ 80,00/sc.

Paraná

Está operando com as mercadorias já colhidas. Já os preços não estão sendo bem aceitos pelos compradores, até pela concorrência de outros estados que são detentores de uma melhor qualidade nos grãos.

Os preços giram na média de R$ 70,00 a R$ 90,00/sc, sendo que o maior valor segue sofrendo questionamento quanto à qualidade. 

Minas Gerais

O reflexo é o mesmo,  uma calmaria nas negociações e os preços oscilando entre R$ 80,00 e R$ 100,00/sc. A conduta de alguns produtores é de segurar as ofertas e aguardar uma semana mais favorável para as vendas. 

Goiás

Os grãos comerciais seguem com pedida de R$ 80,00/sc. Os melhores grãos e os recém colhidos seguem com pedida de R$ 90,00 a R$ 100,00/sc. 

 

Resumo

Observando de modo geral, constatamos que há uma grande opção para os compradores. Fora isso, temos a certeza de que o setor de vendas está tendo que se esforçar para encarar uma concorrência não só de volume, mas principalmente de preço.

Rose Almeida

Negócios & Mercado


Notícias relacionadas

Bahia prevê crescimento de 15% na produção de algodão

Colheita do feijão segunda safra já ultrapassa 50%

Boas Perspectivas para a segunda safra. O Paraná cultivou na segunda safra de feijão 229.500 hectares e espera uma produção estimada em torno de 430.000 toneladas.

Preço do feijão cai em MT devido ao início da colheita e maior oferta do produto no mercado

colheita do feijão atinge 12%

Colheita do feijão no PR atinge 3% da área estimada

Tempo volta a ficar seco na Região Sul

Produção de grãos cresce 3,4% e chega a 235,3 milhões

Brasil terá uma nova Política Nacional de Irrigação

Pregão desta quarta (20) surpreende e não registra boas vendas. Mesmo assim, mercado segue firme

Pregão desta sexta (15) registra mercado recuado para os dois setores. Porém, vendas podem ocorrer ao longo do dia

O pós pregão de hoje, dia 08, não deu sustentação às vendas. A sobra mínima de 6 mil sacas do feijão carioca não atraiu os compradores, que diante da firmeza dos preços, optaram pela retirada do mercado.

O pregão desta segunda-feira (28) abriu a semana com uma oferta de aproximadamente 17 mil sacas do feijão carioca, um volume considerado razoável e suficiente para manter a intenção de reajuste de preços, algo que já vem ocorrendo desde os últimos pr

O pregão desta segunda-feira (21) abriu as negociações em alta. A pequena oferta de aproximadamente 14 mil sacas do feijão carioca foi escoada quase na totalidade.

Pregão desta sexta (18) abre em calmaria, porém com tendência de reajuste nos valores das ofertas que ainda circulam

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial