Notícias

Definidas as ações do Plano de Controle de Resíduos e Contaminantes

Agrometeorologia: sistema da Esalq/USP vai disponibilizar boletins mensais a partir de janeiro

Estação será marcada pelo fenômeno La Niña. Nordeste continua com perspectivas de pouca chuva.

Estação será marcada pelo fenômeno La Niña. Nordeste continua com perspectivas de pouca chuva.

Safra do Nordeste gera boa expectativa de abastecimento para o mercado do feijão carioca

Novos embarques de feijão carioca para a zona Cerealista-SP, provocou queda nos preços no primeiro dia da semana.

Na região Sudoeste, principal produtora do Estado e onde há mais lavouras a serem colhidas, estragos foram significativos - See more at: http://www.sistemafaep.org.br/chuvas-trazem-prejuizo-para-o-fei

Com ofertas generosas de feijão carioca nos últimos três dias, o mercado voltou alterar os preços, encerrando a sexta-feira, com uma queda nas cotações.

Com alta nos preços, o mercado de feijão carioca recebeu um volume expressivo, e bom escoamento nas ofertas.

O pregão desta sexta-feira (02) abriu com aproximadamente 2.900 sacas de feijão carioca. Preços se mantém estáveis.

Pós pregão registra poucas vendas e mercado segue em calmaria

Depois de sucessivas alterações nos preços do feijão carioca, o pregão desta quinta-feira, os preços estabilizaram, e o com o quadro e oferta reduzido.

O pregão desta quarta-feira, o mercado de feijão carioca operou com ofertas reduzidas, abrindo espaço para uma alta nos preços.

PR: safra de verão chega ao final com quase 25 milhões de toneladas, diz Deral

Após uma semana em queda nos preços, o mercado de feijão carioca, voltou a se estabilizar no pregão desta terça-feira (30)

Com a entrada de novas colheitas, mercado de feijão carioca passara por alta, nos próximos vintes dias.

O preço do feijão preto chega em R$ 180,00/sc na zona cerealista.

O mercado de feijão carioca, abriu com os preços em alta na zona cerealista, registrando o preço de R$ 320,00/sc.

Paraná: O clima volta a influenciar nos preços do feijão carioca, que voltou a subir, registrando uma alta de +16,28%

Brasil lidera ranking de aumento de produtividade, com 4,28% ao ano