Notícias

O pós pregão de hoje, dia 09, não deu continuidade às vendas de forma satisfatória, pelo menos para o setor de vendas.

Os compradores se mostraram cuidadosos e deixaram claro que estão seguindo o ritmo do varejo. Essa postura tem sido adotada há um bom tempo como forma de evitar correr o risco de acumular mercadorias.


Neste momento a sobra estimada é de no máximo 8 mil sacas do feijão carioca, com padrões (8,5 ? 9,5).  Os preços ficam entre R$ 155,00 e R$ 168,00/sc.

 

Já as ofertas do feijão comercial (7,5) estão para embarque, ou seja,  restam pelo menos 5 mil sacas, excluindo as ofertas para embarque. 

 

Diante do cenário fica claro que os corretores de roça certamente encontrarão dificuldades para adquirir as ofertas e embarcá-las para São Paulo, uma vez que os produtores seguem resistentes em manter os preços.  

 

Lavouras

 

O fato é que não existe a menor possibilidade de se adquirir qualquer oferta, independente dos padrões, sem aceitar os valores fixados pelos produtores. 

 

As pedidas variam de R$ 130,00 a R$ 150,00/sc. Vale ressaltar que na manhã já houve a intenção de elevar esses preços.

 

A busca maior tem sido pelos grãos comercias, onde a pretensão do produtor é de no máximo R$ 140,00/sc. Contudo, os produtores seguem obedecendo a manifestação de interesse da região nordestina, que  momento é o principal comprador, seguido do estado de São Paulo.

 

Podemos perceber que as empacotadoras estão aumentando ainda mais a compra do feijão comercial, tendo em vista que dessa forma conseguem com preços competitivos e trabalhar de igual pra igual entre elas. A estratégia,  é de  diminui a oferta de feijão extra nas gôndolas.

 

Rose Almeida

Negócios & mercado

Crédito da Imagem:  g1.glogo.com


Notícias relacionadas

Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos

Começa a colheita de feijão carioca no Sudoeste Paulista

*SAFRA DAS ÁGUAS PARANÁ 2019/2020*

Oeste da Bahia vai ganhar o 1° polo de irrigação do NE

AgroNordeste vai ajudar a reduzir as diferenças regionais

Oeste da Bahia vai ganhar o 1° polo de irrigação do NE

Safra das Águas - Sudoeste Paulista

O mercado foi firme até o fechamento do pregão de hoje. Mas neste momento segue susceptível de variação de acordo com a lei da oferta/demanda.

Produção de feijão vai crescer 487% na Bahia

A semana encerra com ofertas reduzidas, preços estáveis e com poucas vendas realizadas, na zona cerealista

O último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicou que ocorrerá um significativo aumento das ofertas do feijão carioca e outros, a partir de setembro.

Em julho, IBGE prevê alta de 5,8% na safra de 2019

Em julho, IBGE prevê alta de 5,8% na safra de 2019

Inoculantes trazem novas perspectivas para a cultura do feijão

Feijão: Produtores estão convictos com possível valorização

Brasil deve plantar mais soja e menos milho, arroz, feijão e algodão

Em 10 anos, área plantada vai aumentar no BR

Cientistas decodificam feijão mais resistente do mundo

Onda de frio chega em áreas produtoras brasileiras

Mercado na zona cerealista, segue com vendas tímidas e setores cautelosos nas negociações