Notícias

Sead recebe demandas da Contag para Plano Safra 2017/2018


A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) recebeu, na tarde desta segunda-feira (17), as propostas da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) para o Plano Safra 2017/2018. A entrega do documento faz parte da agenda da Sead para a construção de um programa em parceria entre o governo, os movimentos sociais e representantes da agricultura familiar do país. Entre as reivindicações, a Contag pede a redução da taxa de juros; a manutenção do montante destinado na safra anterior, de R$ 30 bilhões. A Sead espera encerrar as negociações até o fim de maio.

 

 

As discussões em torno do assunto envolvem ainda os ministérios da Fazenda e do Planejamento, além do Banco Central. O esforço da Sead é para viabilizar o que for possível e necessário para fortalecer a agricultura famiiar. "Estamos em um ano difícil de manter as coisas como estão, mas já há sinalizações mais positivas, como a redução da selic, da inflação, ou seja, temos um ambiente favorável para negociar ", explicou o secretário da Sead, José Ricardo Roseno.

O Plano Safra da Agricultura Familiar financia o custeio da safra anual dos produtores. Dentro do universo da agricultura familiar, trabalha diretamente com a oferta do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Na última safra, 2016/2017, o valor de R$ 30 bilhões superou todos os investimentos feitos no programa. Além disso, as taxas de inflação foram modificadas, com recuo de 5,5% para 2,5% ao ano para produtores de alimentos agroecológicos e que integram a cesta básica de alimentos, a exemplo do arroz, feijão, café, batata, trigo e leite. 

 

 

A intenção da Contag é baixar a taxa para 2,4% ao ano. "Precisamos diminuir os juros por causa da realidade economica do país e para compatibilizar os custos com a produão de alimentos. Também queremos melhorar as atuais linha de crédito, o volume para custeio; melhorar o seguro agrícola e o crédito fundiário, para a compra de terra para a agricultura familiar", defendeu o presidente da Contag, Alberto Ercílio Broch. Segundo ele, a proposta foi construída com a ajuda das 27 federações do país.

 

Fonte:Agrolink

Crédido SEAD

 


Notícias relacionadas

Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos

Começa a colheita de feijão carioca no Sudoeste Paulista

*SAFRA DAS ÁGUAS PARANÁ 2019/2020*

Oeste da Bahia vai ganhar o 1° polo de irrigação do NE

AgroNordeste vai ajudar a reduzir as diferenças regionais

Oeste da Bahia vai ganhar o 1° polo de irrigação do NE

Safra das Águas - Sudoeste Paulista

O mercado foi firme até o fechamento do pregão de hoje. Mas neste momento segue susceptível de variação de acordo com a lei da oferta/demanda.

Produção de feijão vai crescer 487% na Bahia

O pós pregão de hoje, dia 09, não deu continuidade às vendas de forma satisfatória, pelo menos para o setor de vendas.

A semana encerra com ofertas reduzidas, preços estáveis e com poucas vendas realizadas, na zona cerealista

O último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicou que ocorrerá um significativo aumento das ofertas do feijão carioca e outros, a partir de setembro.

Em julho, IBGE prevê alta de 5,8% na safra de 2019

Em julho, IBGE prevê alta de 5,8% na safra de 2019

Inoculantes trazem novas perspectivas para a cultura do feijão

Feijão: Produtores estão convictos com possível valorização

Brasil deve plantar mais soja e menos milho, arroz, feijão e algodão

Em 10 anos, área plantada vai aumentar no BR

Cientistas decodificam feijão mais resistente do mundo

Onda de frio chega em áreas produtoras brasileiras