Notícias

Pregão desta segunda (16) abre com ofertas reduzidas e vendas fluíram com preços firmes

A semana começou bem para o setor de vendas, tendo em vista que o pregão desta segunda-feira (16) abriu aproximadamente 18 mil sacas do feijão carioca. Um volume bom para iniciar a semana


Apesar de a segunda ser um dia que gera bastante expectativa no mercado, seja em preço ou volume das mercadorias, observamos que tudo transcorreu de forma tranquila em razão da descentralização das ofertas em nível de Brasil. Mesmo assim constatamos que houve uma pequena variação no feijão extra (9,5-10), com venda sendo concretizada ao preço de R$ 120,00/sc final, essa variação se deu ao fato de existir uma pequena oferta para este padrão.

 

Já o feijão extra (9) veio com pedida de R$ 115,00/sc, mas sem registro de vendas até o fechamento deste boletim. No entanto,  por se tratar de um pequeno volume de 1.740 sacas,  é possível que ao longo do dia a venda seja concretizada, uma vez que os compradores levaram as amostras disponíveis.

 

Voltamos a ressaltar que a estratégia de manter um volume reduzido de ofertas tem sido praticada de forma inteligente. Com isso o setor de vendas aguarda a demanda naturalmente, sem trabalhar ao longo da semana com pressão sobre os volumes que poderiam ficar parados.

 

A sobra de hoje foi de apenas 8.760 sacas, deixando a indicação de que os preços devem permanecer firmes. A necessidade de novos embarques se mostra viável para logo mais, caso o setor de compras continue operando neste ritmo até o término da semana. 

 

De modo geral, podemos concluir que o mercado conseguiu manter os preços, restando poucas ofertas a serem escoadas. Isso mostra certo equilíbrio no mercado, forçando pelo baixo volume ofertado hoje.

 

Feijão Preto

O feijão preto seguiu a mesma estratégia de sempre, ou seja, os corretores disponibilizaram algumas amostras para que o comprador pudesse sentir o mercado. Porém, as vendas sempre ocorrem para embarque. Além disso, vale informar que os preços seguem estáveis.

 


Notícias relacionadas

Bahia prevê crescimento de 15% na produção de algodão

Colheita do feijão segunda safra já ultrapassa 50%

Boas Perspectivas para a segunda safra. O Paraná cultivou na segunda safra de feijão 229.500 hectares e espera uma produção estimada em torno de 430.000 toneladas.

Preço do feijão cai em MT devido ao início da colheita e maior oferta do produto no mercado

colheita do feijão atinge 12%

Colheita do feijão no PR atinge 3% da área estimada

Tempo volta a ficar seco na Região Sul

Produção de grãos cresce 3,4% e chega a 235,3 milhões

Brasil terá uma nova Política Nacional de Irrigação

Pregão desta quarta (20) surpreende e não registra boas vendas. Mesmo assim, mercado segue firme

Pregão desta sexta (15) registra mercado recuado para os dois setores. Porém, vendas podem ocorrer ao longo do dia

O pós pregão de hoje, dia 08, não deu sustentação às vendas. A sobra mínima de 6 mil sacas do feijão carioca não atraiu os compradores, que diante da firmeza dos preços, optaram pela retirada do mercado.

O pregão desta segunda-feira (28) abriu a semana com uma oferta de aproximadamente 17 mil sacas do feijão carioca, um volume considerado razoável e suficiente para manter a intenção de reajuste de preços, algo que já vem ocorrendo desde os últimos pr

O pregão desta segunda-feira (21) abriu as negociações em alta. A pequena oferta de aproximadamente 14 mil sacas do feijão carioca foi escoada quase na totalidade.

Pregão desta sexta (18) abre em calmaria, porém com tendência de reajuste nos valores das ofertas que ainda circulam

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial