Notícias

Estação será marcada pelo fenômeno La Niña. Nordeste continua com perspectivas de pouca chuva.

O Nordeste estará envolvido em outro sistema, uma zona de convergência intertropical. "Nós temos um problema grave na região Nordeste do Brasil. Estamos desde 2012 com chuvas bem abaixo da média"


Estação será marcada pelo fenômeno La Niña. Nordeste continua com perspectivas de pouca chuva.

 

 

La Niña

"A principal característica deste verão é o fenômeno La Niña, que deixa as águas mais frias no Pacífico Sul, até março. Essas águas mais frias geram circulações na América do Sul", disse Expedito Rebello, coordenador do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). São cerca de 10 mil km de águas geladas, que começam na costa do Peru.

Rebello diz que o fenômeno irá influenciar principalmente Sudeste e Centro-Oeste, além de parte do Norte, com a ocorrência de mais chuvas.

"As temperaturas são altas normalmente nesta época do ano, mas, por causa dessas chuvas, elas podem ser um pouco abaixo no normal nessas regiões", aponta.

O Nordeste estará envolvido em outro sistema, uma zona de convergência intertropical. "Nós temos um problema grave na região Nordeste do Brasil. Estamos desde 2012 com chuvas bem abaixo da média".

"O Atlântico está com temperaturas mais frias do que a média perto da região Nordeste. Isso faz com que as chuvas sejam inibidas", explica. "Provavelmente vamos manter isso de ter chuvas abaixo do normal".

O meteorologista também diz que o tempo na região Sul durante este verão deve revezar com períodos de chuva e de sol.

"A região sul deve se caracterizar por irregularidade: chove muito em poucos dias e, depois, muitos dias sem chuva"

Destaques

De acordo com o Climatempo e com o Inmet, o verão 2017/2018 deve ter algumas características principais:

Maior parte da chuva no Sudeste e Centro-Oeste deve acontecer na primeira metade da estação

Janeiro será o mês-chave para os estados do Centro-Oeste e Sudeste com 10 a 15 dias de chuva

Fevereiro deve ser o mês mais quente em todo o Brasil

O Sul deve ter chuva abaixo da média, mas sem ficar totalmente na secura, com longos períodos sem sol

Muita chuva na Região Norte

Muito calor e pouca chuva no Nordeste

 


Notícias relacionadas

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Neste momento as ofertas que circulam na zona cerealista são apenas para embarque, com exceção das mercadorias do feijão extra, que somam aproximadamente 3 mil sacas.

Ao longo do pós pregão de hoje, dia 26, observamos que os preços permaneceram firmes e os corretores em nada flexíveis no tocante às negociações. As vendas ocorreram, porém em pequena escala.

Durante o pós-pregão de hoje, dia 22, o mercado operou com boa movimentação de vendas pela modalidade de embarque. O maior volume comercializado foi do feijão carioca de padrão comercial (8,5).

Após dias de um longo feriado o pregão desta quarta-feira (21) abriu com preços em alta, ofertas reduzidas e com um mercado completamente recuado.

Primeira safra do Feijão carioca ? Minas Gerais e Goiás

Mercado abre semana com preços em alta e vendas tímidas, porém com tendência de melhorar a movimentação

Nem sempre a sexta-feira é sinônimo de término de vendas. E nessa perspectiva observamos que o pós pregão de hoje foi bem atípico.

Mercado abre semana com um bom fluxo de vendas e preços mantendo estabilidade

Intempéries do clima podem provocar perdas na safra do feijão carioca no sudoeste paulista

Pregão desta terça (30) abre com volume razoável de ofertas, porém vendas ainda seguem em calmaria

Pregão desta segunda (29) começa semana com boas vendas e mercado em movimento

O mercado de feijão carioca e preto, desta sexta-feira (26) praticamente não aconteceu, tendo em vista que a presença de compradores foi praticamente nenhuma e, portanto, não existiram negociações.

A colheita no sudoeste paulista já está em andamento há pelo menos três semanas. Além disso, os bons resultados em termos de qualidade dos grãos é algo que podemos destacar.

Mesmo com vendas retraídas, pregão desta quarta (24) mantém preços firmes