Notícias

Epamig produz semente genética do feijão 'ouro vermelho' em Leopoldina

Esta linhagem do produto apresenta alto rendimento, melhor tolerância à ferrugem e maior concentração de proteínas em comparação a outros tipos do grão.


A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) informou nesta quarta-feira (29) que está em produção a semente genética de feijão "Ouro Vermelho" no Campo Experimental de Leopoldina.

De acordo com a instituição, o grão é uma opção para áreas de cultivo de feijão vermelho e destaca-se pela adaptabilidade e estabilidade da produção.

A previsão dos pesquisadores é que duas toneladas de semente sejam produzidas até o final do ano no campo experimental.

A produção é desenvolvida através de do convênio "Melhoramento do Feijão para o Estado de Minas", composto pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), Epamig, Universidade Federal de Lavras (UFLA) e Embrapa Arroz e Feijão.

 

De acordo com a Epamig, a produção do "ouro vermelho" surgiu de uma demanda de produtores de feijão da Zona da Mata por maior variedade.

Esse tipo apresenta alto rendimento e melhor tolerância à ferrugem em comparação ao cultivo do feijão "vermelhinho", que era o mais utilizado pelos agricultores da região.

Os testes realizados com os grãos revelam também uma maior concentração de proteína: 25,7% do "ouro vermelho" em comparação ao "vermelho 2157" e "vermelhinho", que apresentam 23,1%.

Além disso, a semente genética tem um menor tempo de cocção, cerca de 30 minutos contra, aproximadamente, 50 minutos das outras duas.

Os pesquisadores da Epamig afirmaram que este feijão atinge boa produtividade nas safras seca, quando o plantio ocorre entre fevereiro e março, e na outono-inverno, quando o plantio é de abril a julho. A produção pode variar de acordo com as características climáticas de cada região.

Para cada hectare de cultivo são necessários cerca de 60 kg de sementes, se o espaçamento entre fileiras for de 50 centímetros e forem usadas 12 sementes por metro.

Os tratos culturais e o manejo de pragas, doenças e plantas daninhas devem ser os mesmos recomendados para a cultura na região.

A floração acontece por volta do 38º dia e o ciclo, da emergência à maturação, leva entre 80 e 90 dias.

O campo de produção de semente genética no campo experimental de Leopoldina está na fase de vistorias.

?Realizamos a vistoria da fase de floração e o ?rouguing?, prática obrigatória, que difere o campo de produção de sementes da lavoura para produção de grãos. O campo se encontra dentro dos padrões exigidos para a espécie e não foram encontrados contaminantes importantes: plantas atípicas, doentes ou invasoras proibidas. Em breve realizaremos a vistoria da fase de pré-colheita. A colheita do campo deve ocorrer na segunda quinzena de agosto?, explicou o pesquisador Roberto Araújo.

 

Um material explicativo sobre o feijão "ouro vermelho" será disponibilizado pelo Senar aos produtores e empresas produtoras de sementes.

 

Fonte: G1 Zona da Mata

Crédito da imagem: G1 zona da Mata

 


Notícias relacionadas

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Neste momento as ofertas que circulam na zona cerealista são apenas para embarque, com exceção das mercadorias do feijão extra, que somam aproximadamente 3 mil sacas.

Ao longo do pós pregão de hoje, dia 26, observamos que os preços permaneceram firmes e os corretores em nada flexíveis no tocante às negociações. As vendas ocorreram, porém em pequena escala.

Durante o pós-pregão de hoje, dia 22, o mercado operou com boa movimentação de vendas pela modalidade de embarque. O maior volume comercializado foi do feijão carioca de padrão comercial (8,5).

Após dias de um longo feriado o pregão desta quarta-feira (21) abriu com preços em alta, ofertas reduzidas e com um mercado completamente recuado.

Primeira safra do Feijão carioca ? Minas Gerais e Goiás

Mercado abre semana com preços em alta e vendas tímidas, porém com tendência de melhorar a movimentação

Nem sempre a sexta-feira é sinônimo de término de vendas. E nessa perspectiva observamos que o pós pregão de hoje foi bem atípico.

Mercado abre semana com um bom fluxo de vendas e preços mantendo estabilidade

Intempéries do clima podem provocar perdas na safra do feijão carioca no sudoeste paulista

Pregão desta terça (30) abre com volume razoável de ofertas, porém vendas ainda seguem em calmaria

Pregão desta segunda (29) começa semana com boas vendas e mercado em movimento

O mercado de feijão carioca e preto, desta sexta-feira (26) praticamente não aconteceu, tendo em vista que a presença de compradores foi praticamente nenhuma e, portanto, não existiram negociações.

A colheita no sudoeste paulista já está em andamento há pelo menos três semanas. Além disso, os bons resultados em termos de qualidade dos grãos é algo que podemos destacar.

Mesmo com vendas retraídas, pregão desta quarta (24) mantém preços firmes