Notícias

Colheita do feijão segunda safra já ultrapassa 50%

A colheita está adiantada. De acordo com as previsões do Deral, essa colheita vai se estender até os primeiros dias de junho, pois, se não chover, deve se intensificar.


O feijão da segunda safra está 50% colhido e a estimativa é de uma área 8% maior à do ano passado, chegando a 230,6 mil hectares, é o que diz o último relatório do Deral - Departamento de Economia Rural do Paraná.

 

Cerca de 76% das lavouras apresentam boa qualidade. Na região Sudoeste, no entanto, a chuva dos últimos dias deve trazer perdas, mas não muito acentuadas.

 

A produção, inicialmente projetada em 430 mil toneladas, reduziu para 409 mil toneladas, mas houve aumento de 33% de aumento na produtividade esse ano, com relação ao ano passado.

 

A colheita está adiantada. De acordo com as previsões do Deral, essa colheita vai se estender até os primeiros dias de junho, pois, se não chover, deve se intensificar.

 

A estimativa de produção da segunda safra mostra um aumento de 47% em comparação com o ano anterior - de 278 mil toneladas para 408,7 mil toneladas. ?Esse aumento representa uma recuperação da produção após a quebra de 25% registrada na primeira safra por problemas climáticos, e consequente aumento nos preços. Agora, está acontecendo o inverso: com oferta maior, preços devem cair?, explica o economista do Deral, Methodio Groxko.

 

Cevada

 

O Paraná é o maior produtor de cevada do Brasil. Os dados do relatório mensal mostram que área segue semelhante à safra 17/18-56 mil hectares, mas a produção deve aumentar 16%, de acordo com o engenheiro agrônomo do Deral, Rogério Nogueira.

 

Na safra passada, foram produzidas 220 mil toneladas. Agora, a estimativa de produção é de 255 mil. Cerca de 31% da produção já está comercializada, especialmente no município de Guarapuava, principal produtor. Lá, os agricultores já comercializaram 50% da produção. O plantio começa em junho.



Fonte:  https://agroclima.climatempo.com.br/noticia/2019/05/31/colheita-do-feijao-segunda-safra-ja-ultrapassa-50--5236


Notícias relacionadas

Bahia prevê crescimento de 15% na produção de algodão

Boas Perspectivas para a segunda safra. O Paraná cultivou na segunda safra de feijão 229.500 hectares e espera uma produção estimada em torno de 430.000 toneladas.

Preço do feijão cai em MT devido ao início da colheita e maior oferta do produto no mercado

colheita do feijão atinge 12%

Colheita do feijão no PR atinge 3% da área estimada

Tempo volta a ficar seco na Região Sul

Produção de grãos cresce 3,4% e chega a 235,3 milhões

Brasil terá uma nova Política Nacional de Irrigação

Pregão desta quarta (20) surpreende e não registra boas vendas. Mesmo assim, mercado segue firme

Pregão desta sexta (15) registra mercado recuado para os dois setores. Porém, vendas podem ocorrer ao longo do dia

O pós pregão de hoje, dia 08, não deu sustentação às vendas. A sobra mínima de 6 mil sacas do feijão carioca não atraiu os compradores, que diante da firmeza dos preços, optaram pela retirada do mercado.

O pregão desta segunda-feira (28) abriu a semana com uma oferta de aproximadamente 17 mil sacas do feijão carioca, um volume considerado razoável e suficiente para manter a intenção de reajuste de preços, algo que já vem ocorrendo desde os últimos pr

O pregão desta segunda-feira (21) abriu as negociações em alta. A pequena oferta de aproximadamente 14 mil sacas do feijão carioca foi escoada quase na totalidade.

Pregão desta sexta (18) abre em calmaria, porém com tendência de reajuste nos valores das ofertas que ainda circulam

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial