Notícias

Chuva e La Niña em setembro? Confira a previsão do tempo para o mês

Mês que marca o retorno do período úmido e o início do plantio da safra de verão terá pancadas irregulares de chuva e duas ondas de frio


Setembro é um mês que gera grande expectativa na maioria dos produtores rurais do Brasil. É o período que marca o retorno das chuvas e o início do plantio da safra de verão 2021/2022. No ano passado, por conta do La Niña que estava em curso, as chuvas atrasaram e em muitos locais do Brasil Central só vieram em novembro, o que jogou pra frente também a janela de plantio do milho segunda safra que no último ciclo foi severamente afetado pelas adversidades climáticas.

Neste ano, também devemos ter atrasos no regime de chuva das principais áreas produtoras do país, mas se espera que não seja algo tão grave quanto no ano passado.

?Neste ano estamos sob uma neutralidade climática com um novo La Niña no radar que deve se instalar lá para o decorrer da primavera e promete não ser tão intenso, muito menos duradouro?, avisa Celso Oliveira, meteorologista da Somar.

Primeira quinzena 

As próximas quinzenas mostram que a chuva agrícola vai demorar a espalhar pelo Sudeste e Centro-Oeste. Ainda assim, o retorno da precipitação será mais precoce que no ano passado, acontecendo ainda no início de outubro. O mês de setembro ainda será quente e com pouca chuva. Então, mesmo com o término do vazio sanitário, a maior parte das áreas produtoras permanecerá no aguardo de chuva mais intensa. Já na região Sul, a chuva será mais frequente e intensa, com exceção do norte do Paraná.

A primavera vai começar no dia 22 de setembro, às 16h21, horário de Brasília. A estação começa com chuvas fortes em grande parte do país, acumulando volumes acima da média principalmente entre o Sudeste e o Centro-Oeste. Apesar dos volumes elevados, a frequência ainda será irregular ao longo do mês. Nas áreas mais ao norte do Nordeste o predomínio é de sol e tempo seco. No Sul, apenas o Paraná e Santa Catarina terão chuvas frequentes e regulares.

 

Temperaturas 

Em relação às temperaturas, podemos esperar duas ondas de frio. A primeira acontece a partir desse fim de semana com a chegada de uma nova frente fria que será seguida de uma massa de ar de origem polar. As temperaturas vão ficar mais baixas apenas entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A segunda onda de frio está prevista para o dia 20 de setembro, algo que poderá trazer danos para o trigo e para o milho.

 

fonte:  Canal Rural

Crédito da imagem: Canarural



Notícias relacionadas

Déficit de armazéns afeta 60% da produção agrícola no Brasil

1ª safra de feijão, avança, e já chegou a 76% no Paraná

EUA e União Europeia estudam criar leis que podem prejudicar agro brasileiro

Falta de insumos ameaça safra de grãos 21/22

Crise nos insumos: Saiba o que fazer

Crise nos insumos: Saiba o que fazer

Brasil vai plantar e colher mais feijão

PLANTA ALAGOAS: 50 MIL ALAGOANOS COMEMORAM O INÍCIO DA SAFRA

Semana começa com previsão de geada; veja onde

Embrapa deu início ao 13ºCongresso Nacional de Feijão

PAM 2020: valor da produção agrícola nacional cresce 30,4% e chega a R$ 470,5 bilhões, recorde da série

Primavera inicia nesta quarta-feira (22)

Dia de Campo Digital divulga cultivares de feijão

Daoud: Inflação e forte recessão econômica já sinalizam um difícil cenário para 2022

Quinta-feira será marcada por avanço de frente fria

Produtores de Campos de Holambra reduzem área plantada devido à seca extrema

Entenda os efeitos da inflação nos preços dos alimentos

Chuvas no Sul e Norte, mas não em outras regiões; confira o clima de 2ª e 3ª

Feijão: cuidados com cultivo da safrinha evitam aumento de custo

Clima adverso impacta as lavouras e produção deve chegar a 254 milhões de toneladas na safra 2020/21