Notícias

Área coberta com seguro rural já supera 10 milhões de hectares

Até outubro deste ano, 10 milhões de hectares foram segurados com o apoio do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), superando o ano de 2014, quando foi registrada área segurada de 9,9 milhões de hectares, até então ano com a maior marca, conforme levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento


A ministra Tereza Cristina tem destacado o comprometimento do Ministério com as políticas de gestão de risco e o "empenho em disseminar a importância da contratação do seguro rural entre os produtores e os resultados positivos obtidos nesse sentido?. Além da área segurada, outros números também indicam o avanço desse instrumento de gestão de riscos entre os produtores. Foram utilizados em torno de R$ 680 milhões em subvenção ao prêmio que auxiliou financeiramente os produtores a contratar até o momento cerca de 149 mil apólices, cujo valor total segurado foi de R$ 33 bilhões.

 

O secretário de Política Agrícola, César Halum, afirma que esses números ainda devem crescer, tendo em vista que serão computadas as contratações de final de outubro e começo de novembro. ?O Mapa vai divulgar em dezembro os resultados finais de 2020 da política agrícola com seguro rural, que já são recordes na história do PSR?.

 

Contratação

 

O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize apólice de seguro rural. Atualmente, 14 seguradoras estão habilitadas para operar no PSR. O seguro rural é destinado aos produtores, pessoa física ou jurídica, independentemente de acesso ao crédito rural. A subvenção econômica concedida pelo Ministério da Agricultura pode ser pleiteada por qualquer pessoa física ou jurídica que cultive ou produza espécies contempladas pelo Programa.

 

Para os grãos em geral, o percentual de subvenção ao prêmio pode variar entre 20% e 40%, a depender da cultura e tipo de cobertura contratada. No caso das frutas, olerícolas, cana-de-açúcar e demais modalidades (florestas, pecuário e aquícola) o percentual de subvenção ao prêmio será fixo em 40%.

 

Soja, milho verão, banana, maçã e uva no Pronaf

 

Para produtores que estão contratando crédito de custeio nas instituições financeiras e são enquadrados no Programa Nacional da Agricultura Familiar (Pronaf), entre julho e outubro, há um projeto-piloto com recursos de R$ 50 milhões do PSR de estímulo a contratação do seguro agrícola de soja e milho verão (subvenção de 55% do prêmio) e para banana, maçã e uva (subvenção de 60% do prêmio).

 

Norte e Nordeste

 

Para produtores de grãos nas regiões Norte e Nordeste, o PSR destinará, exclusivamente, R$ 50 milhões.

 

Fonte: Climatempo/Agroclima

Crédito da imagem:  Climatempo


Notícias relacionadas

Paraná deve produzir 24 milhões de toneladas na safra de Verão

Mais chuva no Sul

Com câmbio em alta, mercado de defensivos deve recuar 11% em 2020, diz Sindiveg

Área coberta com seguro rural já supera 10 milhões de hectares

Conab lança nesta terça-feira ferramenta de acompanhamento do plantio e coleta de grãos

Conab lança nesta terça-feira ferramenta de acompanhamento do plantio e coleta de grãos

Epamig produz semente genética do feijão 'ouro vermelho' em Leopoldina

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Neste momento as ofertas que circulam na zona cerealista são apenas para embarque, com exceção das mercadorias do feijão extra, que somam aproximadamente 3 mil sacas.

Ao longo do pós pregão de hoje, dia 26, observamos que os preços permaneceram firmes e os corretores em nada flexíveis no tocante às negociações. As vendas ocorreram, porém em pequena escala.

Durante o pós-pregão de hoje, dia 22, o mercado operou com boa movimentação de vendas pela modalidade de embarque. O maior volume comercializado foi do feijão carioca de padrão comercial (8,5).

Após dias de um longo feriado o pregão desta quarta-feira (21) abriu com preços em alta, ofertas reduzidas e com um mercado completamente recuado.

Primeira safra do Feijão carioca ? Minas Gerais e Goiás

Mercado abre semana com preços em alta e vendas tímidas, porém com tendência de melhorar a movimentação

Nem sempre a sexta-feira é sinônimo de término de vendas. E nessa perspectiva observamos que o pós pregão de hoje foi bem atípico.