Notícias

Pós pregão registra poucas vendas e mercado segue em calmaria


O pós pregão de hoje registrou algumas poucas vendas para o padrão extra (8,5-9), comercializado com variação entre R$ 205,00 e R$ 220,00/sc. Essa movimentação ocasionou certa estabilidade no mercado, ainda mais quando observamos que houve um recuo por parte dos compradores.

 

Tal cenário se justifica pelo fato das ofertas do padrão (9,5-10), estarem perdendo espaço devido ao preço. Assim sendo, a diferença expressiva obriga os compradores a uma substituição.  

 

Um ponto bastante questionado são as ofertas que se encontram armazenadas na zona cerealista. Sabe-se que este volume está criando expectativa no setor de compra, que aguarda para a próxima segunda-feira um número considerável de feijão. 

 

A calmaria do momento não favoreceu as vendas e também não provocou os compradores para lançar suas propostas. Assim sendo, fica fácil observamos que independente do preço, o setor atacadista segue operando com cautela e de acordo com a demanda varejista.

 

A modalidade de abastecimento contínuo disponibiliza um intervalo maior para que o atacado possa negociar junto ao mercado varejista, provocando a boa e velha venda casada. 

 

Lavouras

 

Nas regiões de produção, a exemplo do Paraná, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso, as propostas dos produtores variam entre R$ 200,00 e R$ 220,00/sc, conforme padrão de qualidade.

 

Já os compradores insistem no preço de R$ 170,00 a R$ 190,00/sc. Devido a não necessidade de abastecimento, este setor ganha um pouco mais de tempo para negociar os atuais valores. 

 

 

ROSE ALMEIDA

NEGÓCIOS & MERCADO


Notícias relacionadas

*SAFRA DAS ÁGUAS PARANÁ 2019/2020*

Oeste da Bahia vai ganhar o 1° polo de irrigação do NE

AgroNordeste vai ajudar a reduzir as diferenças regionais

Oeste da Bahia vai ganhar o 1° polo de irrigação do NE

Safra das Águas - Sudoeste Paulista

O mercado foi firme até o fechamento do pregão de hoje. Mas neste momento segue susceptível de variação de acordo com a lei da oferta/demanda.

Produção de feijão vai crescer 487% na Bahia

O pós pregão de hoje, dia 09, não deu continuidade às vendas de forma satisfatória, pelo menos para o setor de vendas.

A semana encerra com ofertas reduzidas, preços estáveis e com poucas vendas realizadas, na zona cerealista

O último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicou que ocorrerá um significativo aumento das ofertas do feijão carioca e outros, a partir de setembro.

Em julho, IBGE prevê alta de 5,8% na safra de 2019

Em julho, IBGE prevê alta de 5,8% na safra de 2019

Inoculantes trazem novas perspectivas para a cultura do feijão

Feijão: Produtores estão convictos com possível valorização

Brasil deve plantar mais soja e menos milho, arroz, feijão e algodão

Em 10 anos, área plantada vai aumentar no BR

Cientistas decodificam feijão mais resistente do mundo

Onda de frio chega em áreas produtoras brasileiras

Mercado na zona cerealista, segue com vendas tímidas e setores cautelosos nas negociações

Feijão: área plantada em SC vem caindo