Notícias

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

A estratégia de utilizar a recente colheita do interior do estado de São Paulo como forma de manter os preços acabou se desfazendo. Além disso, a aproximação da colheita do Paraná, também contribuiu para tal cenário.


Mercado de feijão carioca,  abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.

 

O mercado desta quarta-feira (05) abriu com volume de aproximadamente 17 mil sacas de feijão carioca, mercado em queda e uma pequena participação de compradores. 

 

A estratégia de utilizar a recente colheita do interior do estado de São Paulo como forma de manter os preços acabou se desfazendo. Além disso, a aproximação da colheita do Paraná, também contribuiu para tal cenário.

 

As ofertas do feijão extra (9),  finalmente encontraram colocação com preços de R$ 163,00 e R$ 165,00/sc. A pressa para escoar as mercadorias acabou transferindo a queda nos preços para outros padrões, principalmente aqueles que eram os mais procurados, ou seja, o feijão comercial bom.

 

As demais ofertas que também sofreram recuo, a exemplo dos grãos (7), com pedida de R$ 110,00/sc. Com ofertas representadas por amostras, ou seja, venda para embarque, a abertura nos preços foi de R$ R$ 110,00 e R$ 105,00/sc, contudo os compradores lançaram preços menores. A perspectiva é que ao longo do dia ocorram novas vendas.

 

Feijão Preto

 

As ofertas de apenas 4 mil sacas tendem a ser bem mais volumosas. Além isso, vale citar que os preços mostraram um leve recuo. Mesmo assim as vendas ainda não fluíram.

 

Rose Almeida

Negócios & mercado


Notícias relacionadas

Paraná deve produzir 24 milhões de toneladas na safra de Verão

Mais chuva no Sul

Com câmbio em alta, mercado de defensivos deve recuar 11% em 2020, diz Sindiveg

Área coberta com seguro rural já supera 10 milhões de hectares

Área coberta com seguro rural já supera 10 milhões de hectares

Conab lança nesta terça-feira ferramenta de acompanhamento do plantio e coleta de grãos

Conab lança nesta terça-feira ferramenta de acompanhamento do plantio e coleta de grãos

Epamig produz semente genética do feijão 'ouro vermelho' em Leopoldina

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Pregão desta terça (04) registra calmaria nas vendas e compradores dando preferência ao feijão comercial

Neste momento as ofertas que circulam na zona cerealista são apenas para embarque, com exceção das mercadorias do feijão extra, que somam aproximadamente 3 mil sacas.

Ao longo do pós pregão de hoje, dia 26, observamos que os preços permaneceram firmes e os corretores em nada flexíveis no tocante às negociações. As vendas ocorreram, porém em pequena escala.

Durante o pós-pregão de hoje, dia 22, o mercado operou com boa movimentação de vendas pela modalidade de embarque. O maior volume comercializado foi do feijão carioca de padrão comercial (8,5).

Após dias de um longo feriado o pregão desta quarta-feira (21) abriu com preços em alta, ofertas reduzidas e com um mercado completamente recuado.

Primeira safra do Feijão carioca ? Minas Gerais e Goiás

Mercado abre semana com preços em alta e vendas tímidas, porém com tendência de melhorar a movimentação

Nem sempre a sexta-feira é sinônimo de término de vendas. E nessa perspectiva observamos que o pós pregão de hoje foi bem atípico.