Notícias

Intempéries do clima podem provocar perdas na safra do feijão carioca no sudoeste paulista

As regiões produtoras já começam a ficar em alerta com as mudanças climáticas, tendo em vista que os bons negócios a preços favoráveis que já começaram a movimentar o início da colheita poderão sofrer ameaças.


Intempéries do clima podem provocar perdas na safra do feijão carioca no sudoeste paulista

 

 

As regiões produtoras já começam a ficar em alerta com as mudanças climáticas, tendo em vista que os bons negócios a preços favoráveis que já começaram a movimentar o início da colheita poderão sofrer ameaças. 

A exemplo disso podemos citar que algumas lavouras se encontram em estágios sensíveis de desenvolvimento, a exemplo da dessecação e maturação. Portanto, períodos prolongados de chuvas podem ocasionar perdas e quebras. 

 

Nas próximas semanas prevalecerá o clima seco, com ocorrências mínimas de chuvas. Por outro lado, sabemos que as temperaturas neste período do ano são altas, e as chuvas chegam a ser uma necessidade, desde que não ultrapassem o índice adequado para o bom desenvolvimento dos grãos.

 

Com os trabalhos de campo paralisados, as regiões devem voltar a operar comercialmente na próxima semana, uma vez que os poucos lotes já colhidos devem permanecer na base do controle por parte do produtor, já que essa tem sido a estratégia mais viável para não correr riscos.

 

Safra Paranaense

 

As áreas plantadas avançaram em pelo menos 79%.  

 

De acordo com informações do Deral (Departamento de Economia Rural), a redução desta safra em relação à safra do ano de 2017, registrou uma queda de -14% até o momento presente.

 

Em se tratando das fases das plantas, observamos da seguinte forma: 15% germinando, 76% vegetativa e, apenas 1% no processo de frutificação. A novidade é que neste momento as condições das lavouras são consideradas boas. 

 

Clima

A situação no momento exige boas condições climáticas. E neste momento as chuvas ocorrem, porém de forma irregular, segundo informações do site de meteorologia: www.clima.tempo.combr

 

As primeiras colheitas estão previstas para o mês de Dezembro. Sendo assim, ainda haverá um bom período pela frente onde poderemos acompanhar junto aos profissionais da área, o desenvolvimento das lavouras, condições climáticas e a situação das plantas.

 

 

Rose Almeida

Negócios & Mercado

 

 


Notícias relacionadas

Com alta nos preços dos grãos, procura por terra e arrendamento aumenta no RS.

Paraná deve produzir 40,6 milhões de toneladas de grãos

Municípios de SC afetados pela estiagem vão receber repasse

ALERTA DE TEMPORAIS NO RIO GRANDE DO SUL

Safra de feijão está praticamente plantada no Paraná

Nutrição de alta tecnologia minimiza estresse e garante alta produtividade no feijão

Produção brasileira de grãos deve chegar a 268,3m/t

Calor persiste no Sudeste nos próximos dias

Paraná deve produzir 24 milhões de toneladas na safra de Verão

Mais chuva no Sul

Com câmbio em alta, mercado de defensivos deve recuar 11% em 2020, diz Sindiveg

Área coberta com seguro rural já supera 10 milhões de hectares

Área coberta com seguro rural já supera 10 milhões de hectares

Conab lança nesta terça-feira ferramenta de acompanhamento do plantio e coleta de grãos

Conab lança nesta terça-feira ferramenta de acompanhamento do plantio e coleta de grãos

Epamig produz semente genética do feijão 'ouro vermelho' em Leopoldina

Pregão desta quarta (19) transcorre com poucas vendas, mas corretores continuam firmes e com preços em alta.

Pós pregão encerra mercado em calmaria e com perspectiva de surpresas para a próxima semana

O mercado segue paralisado e sem interesse por parte dos compradores em novas aquisições, tendo em vista que para este momento o abastecimento já foi realizado ao longo da semana.

Mercado de feijão carioca, abre em queda nesta quarta-feira, dia 05, na Zona Cerealista.