Notícias

Brasil lidera ranking de aumento de produtividade, com 4,28% ao ano


 

Estudos feitos pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) mostram que o Brasil é um dos países em que a produtividade mais cresce, com aumento de 4,28% ao ano de 2006 a 2010, seguido de China (3,25%), Chile (3,08%) e Japão (2,86%). A informação foi divulgada na sexta-feira (12), em nota, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que informou, ainda, que o estudo foi publicado na revista EuroChoices agri-food and rural resource issues, na edição de 2017.

Segundo o consultor técnico da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Cristiano Palavro, o setor produtivo rural tem conquistado incrementos muito significativos de produtividade nos últimos anos, fruto de um trabalho conjunto de todos os profissionais ligados ao campo e os produtores rurais. “Temos conseguido alavancar nossos patamares produtivos introduzindo cada vez mais tecnologia e práticas inovadoras no campo, incrementando nossa produção não só em tamanho, como também em qualidade e sustentabilidade", explicou. 

Para o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola do ministério, José Garcia Gasques, ao longo dos últimos 50 anos, o crescimento da produtividade permitiu ofertas mais abundantes de alimentos a preços mais baratos. Segundo ele, no Brasil, isso pode ser verificado pela redução dos preços reais de grãos relevantes na alimentação humana, como, por exemplo arroz, milho, soja e trigo. 

Entre 1975 e 2015, a taxa média de crescimento da produtividade agropecuária no Brasil foi de 3,58% ao ano. Na década de 2000, a média foi de 4,08% ao ano.

Fonte: Estadão, com informações da Faeg

 


Notícias relacionadas

Cientistas decodificam feijão mais resistente do mundo

Onda de frio chega em áreas produtoras brasileiras

Mercado na zona cerealista, segue com vendas tímidas e setores cautelosos nas negociações

Feijão: área plantada em SC vem caindo

Falta de chuva prejudica 3ª safra de feijão da Bahia

Julho indica uma persistência maior da chuva no Paraná

Regiões com colheita de feijão crica em andamento

Safra foi afetada pelo clima No Paraná, a primeira safra de feijão 2018/19, ocupou uma área de 162.000 hectares e a produção foi de 247.000 toneladas. Já a segunda safra registrou uma área de 230.500 hectares e a produção inicialmente prevista era de

Bahia prevê crescimento de 15% na produção de algodão

Colheita do feijão segunda safra já ultrapassa 50%

Boas Perspectivas para a segunda safra. O Paraná cultivou na segunda safra de feijão 229.500 hectares e espera uma produção estimada em torno de 430.000 toneladas.

Preço do feijão cai em MT devido ao início da colheita e maior oferta do produto no mercado

colheita do feijão atinge 12%

Colheita do feijão no PR atinge 3% da área estimada

Tempo volta a ficar seco na Região Sul

Produção de grãos cresce 3,4% e chega a 235,3 milhões

Brasil terá uma nova Política Nacional de Irrigação

Pregão desta quarta (20) surpreende e não registra boas vendas. Mesmo assim, mercado segue firme

Pregão desta sexta (15) registra mercado recuado para os dois setores. Porém, vendas podem ocorrer ao longo do dia

O pós pregão de hoje, dia 08, não deu sustentação às vendas. A sobra mínima de 6 mil sacas do feijão carioca não atraiu os compradores, que diante da firmeza dos preços, optaram pela retirada do mercado.