COTAÇÕES DE PREÇOS E ANÁLISE DE MERCADO

Feijão carioca - preços em r$ - saca 60 kg - últimos 5 dias


Pregão desta quarta (22) opera com alguns preços em queda, porém vendas ainda não alcançaram objetivo do setor de vendas.

 

O pregão desta quarta-feira (22) operou com aproximadamente 15 mil sacas de feijão carioca, divididas entre mercadorias extras (9,5-10) e os padrões mais fracos.

 

Os compradores seguem cautelosos e sem demonstrar apreensão. Observa-se que mesmo diante da necessidade de novas aquisições, ainda assim seguem trabalhando com as reservas, e evitando investidas desnecessárias e que possam favorecer ao setor de vendas.

 

Retornando ao setor de vendas, temos um cenário onde as negociações ocorridas ainda não foram significativas. Ou seja, mesmo adotando o recuo de (-5,13%) para o feijão extra (9,5-10), que esteve nesta madrugada com pedida máxima de R$ 185,00/sc, os vendedores não alcançaram o objetivo de escoamento.  Outro fato importante é que os preços reagem de acordo com a qualidade,  e as poucas ofertas do padrão que sobraram,  claramente demonstra depreciação na qualidade,  como odor (secador).

 

Justificando essa flexibilidade, devemos explicar que devido aos preços firmes que iniciaram a semana, o setor de vendas viu a oportunidade deste recuo justamente no dia de hoje, que costumeiramente funciona como escoador do que ainda circula como sobra.

 

O fato é que a estratégia não surtiu o efeito desejado, deixando uma sobra de aproximadamente 10 mil sacas. Portanto, os corretores já se consideram na desvantagem. Sendo assim, a intenção mais provável será focar naqueles compradores que de fato estão interessados. Porém, isso poderá implicar em mais alguns ajustes de preços,  sem esquecer do fator qualidade, situação em que mais pesa,  na hora de flexibilizar os negócios. 

 

No geral, podemos pontuar que o mercado passou por um momento de instabilidade. Diante disso, esperar com cautela uma demanda natural, seria a decisão mais assertiva para o momento atual.