COTAÇÕES DE PREÇOS E ANÁLISE DE MERCADO

Feijão carioca - preços em r$ - saca 60 kg - últimos 5 dias


""""Informativo 2   zona cerealista


Dia 11 de Janeiro / 2021

As comercializações estão apenas cumprindo a rotina, com os corretores em busca de vendas e os compradores ainda cautelosos para adquirir novos lotes.
O curioso é que mesmo em calmaria nas vendas, o mercado ainda consegue manter os preços estáveis, sem qualquer alteração negativa.

Nesse contexto, as empresas tentam conseguir melhores cifras, porém, diante da firmeza dos corretores, a alternativa mais viável é procurar por feijão com padrão intermediário na média de R$ 260,00 e R$ 265,00/sc, o que também não está sendo fácil. 

Para reforçar essa tendência, podemos citar que hoje foi pequena a presença de feijões com notas 9 e 9,5 ? que inclusive ainda se encontram sem registro de vendas. Mesmo assim, a probabilidade maior é que os corretores se mantenham firmes com as cifras.
Outra situação importante de destacar no mercado são as vendas para embarque, que normalmente ocorrem independente das vendas da zona cerealista para as mercadorias expostas fisicamente.

Lavouras 

Os produtores seguem firmes e observando bem a movimentação do mercado. E mesmo observando que as negociações estão lentas, buscam manter os preços adotados.

 

Em se tratando dos preços nas lavouras, podemos apontar que nos estados como Goiás, Minas Gerais e Paraná, que se encontram em colheita, a pedida se mantém em R$ 300,00/sc. 

Por outro lado, a demanda de compradores não aceita a cifra citada. Desta forma, as algumas negociações acabam sendo fechadas em R$ 280,00 ou R$ 290,00/sc, e alguns casos pontuais em R$ 300,00/sc. ? sempre de acordo com o padrão de qualidade das ofertas em cada estado. 

Em Goiás, por exemplo, é possível conseguir R$ 260,00 ou R$ 280,00/sc ? para os feijões de notas 7,5 e 8,5. 

Em São Paulo, a média de preços é de R$ 270,00 a R$ 290,00/sc. Mas vale reforçar que o feijão a R$ 300,00/sc - também consegue escoamento. 

De uma forma geral o mercado do feijão vem enfrentando a fraca demanda. Isso se dá pelos preços das mercadorias quando chegam ao consumo final, que consequentemente rejeita algumas ofertas. 

No geral, as reposições por parte das empresas têm sido a cada 15 dias. E isso faz com o mercado passe a operar lentamente até que surjam novas demandas do varejo e do consumo final.

Rose Almeida
Negócios & Mercado